segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Se lembra bem do inicio da construção da ponte sobre o rio Araguaia. Isso lá pelos idos de 1953.


Uma jardineira, veículo de transporte dos integrantes da ExpediçãoRoncador-Xingu.Como o início de construção trouxe um novo alento a todos que já haviam se radicado por aqui. A construção demorou uns três anos, pois em 1956, sabendo que o então presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira iria inaugurá-la, decidiram vários daqui de Xavantina, participar de ato tão importante para o desenvolvimento da região.Apesar do período se chuvoso, pois era mês de fevereiro, João de Deus e Maria Rosa, juntamente com mais alguns companheiros, iniciaram a viagem de Xavantina a Barra do Garças.
Em cima da carroceria de um pequeno caminhão que dava apoio aos trabalhos da base, o grupo de pioneiros voltava a trilhar o caminho que um dia fora aberto pelas suas próprias mãos. O momento era muito importante e significativo, isso sabiam todos. Pois aqueles que em cima
daquela caminhão, em clima de festa, enfrentando os 150 quilômetros de uma estrada cheia de acidentes e de pinguelas perigosas, um dia sonharam em ver estas terras povoadas, o progresso tomando conta de tudo, e esse acontecimento era o selo definitivo que uniria a região ao resto do Brasil. Era a certeza de que seus sonhos estavam se tornando realidade.Não é preciso dizer da satisfação de todos em ter bem perto deles o presidente que representava a redenção do Centro-Oeste brasileiro.Foi promessa de sua campanha presidencial transferir a capital do Brasil, do Rio de Janeiro para um local não muito longe daqui, lá para os lados da cidade de Goiânia. Esse era o comentário geral com o qual ele já tinha tido contato nas vezes anteriores que esteve em Goiânia.O fato é que com a ponte que estava sendo inaugurada, novos melhoramentos viriam para a região.A ligação terrestre entre Aragarças e as cidades de Iporá e Goiânia ficavam melhores. Já se podia fazer o percurso com apenas um dia de viagem. Isso tudo representava o progresso tão sonhado por todos que viviam para além do Araguaia.

Um comentário:

Luciano disse...

QUEM LINDO
MATEI A SAUDADE DESSA
CITY MARAVILHOSA
UM CHEIRO
PARABENS O TRABALHO ESTA LINDO